Background Banner Image
Banner Image
Baseado em:
Blue Invest LogoDisclaimer:Toda a informação que se segue baseia-se no BlueInvest Investor Report, que conjuga dados de mercado com resultados de um inquérito aos investidores realizado pela BlueInvest. A BlueInvest é uma iniciativa da Comissão Europeia lançada em 2019 com o objetivo de acelerar novas tecnologias e soluções baseadas nos oceanos para desbloquear a inovação e as oportunidades de investimento na Economia Azul sustentável. É financiada pelo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura (FEAMPA).

AQUACULTURA

Definição da fileira

Aquacultura é o cultivo de plantas aquáticas, especificamente a criação, a reprodução e a colheita em água doce, salobra e salgada sob condições controladas ou semi-controladas. Isto pode ser feito através de sistemas baseados em água, sistemas baseados em terra ou agricultura integrada. Várias espécies marinhas e de água doce são cultivadas, incluindo peixes, moluscos, crustáceos e plantas aquáticas (principalmente macroalgas).

Estratégia DDC - Digitalizar, Descarbonizar, Circularizar

Em termos gerais, a aquacultura sustentável é utilizada para produzir alimento, mas também pode servir para reconstituir stocks selvagens e reconstruir populações de espécies ameaçadas. Em termos mais específicos, a aquacultura sustentável é o cultivo de espécies aquáticas de uma forma que reduz as emissões, atenua a poluição, utiliza menos plástico e mais energias renováveis, é mais eficiente em energia e água, coloca menos stress no abastecimento das cadeias (particularmente das unidades populacionais de peixes selvagens), utiliza menos produtos químicos e medicamentos como antibióticos, respeita melhor o bem-estar dos peixes, e cria empregos orientados para o futuro. E tudo isto enquanto produz frutos do mar e plantas aquáticas de alta qualidade e nutritivas. O impacto ambiental da aquacultura é em grande parte determinado por o método de produção utilizado. O facto de os subprodutos da aquacultura poderem ser utilizados de várias formas também promove uma maior circularidade no sector.

Serviços Fórum Oceano para a fileira

Desenvolvimento do negócio e internacionalização: Serviços de market Intelligence; organização de missões empresariais e matchmaking; apoio a iniciativas de investimento; criação de programas de empreendedorismo ESG e de aceleração empresarial; apoio à internacionalização do negócio.

Aceleração empresarial, empreendedorismo, digitalização e inovação ESG: implementação de projetos europeus e extra-europeus focados em ecossistemas e redes de inovação; serviços de apoio à criação de modelos de negócio ESG; serviços de avaliação de impacto ESG de empresas e tecnologias; Apoio ao financiamento empresarial; Apoio ao acesso de infraestruturas de teste de tecnologias, produtos e serviços ESG.

Formação, educação e literacia: Criação de soluções de formação técnica e superior; Desenvolvimento de iniciativas de literacia azul ligada ao empreendedorismo jovem ESG e ao conhecimento das profissões da economia azul ESG.

Organização de eventos e de ações comunicação da economia azul ESG: Disseminar conhecimento e boas práticas, fomentar a colaboração entre stakeholders e destacar oportunidades emergentes na economia azul ESG.

Estudos estratégicos e política pública: Realização de estudos estratégicos para definição de estratégias municipais, regionais e nacionais de economia azul.

Cadeia de valor

Value Chain

Principais inovações e tecnologias

Inovação

Descrição

Proposta de valor

Melhoria genética das espéciesO uso da genética para compreender a função dos genomas explorar a previsão genótipo a fenótipo, fazer melhorias genéticas em barbatanas, controlar a reprodução dos peixes, manipular conjuntos cromossómicos em moluscos e controlar doenças em peixes. Inclui ambas as criações seletivas (utilizando os melhores espécimes para reprodução) e técnicas de engenharia genética (que afetam a genética dos peixes), tais como inversão do género dos peixes.A aplicação de técnicas genéticas torna possível prever a propensão para a doença, aumentar a resistência às doenças e reduzir a existência de doenças infeciosas dentro do ecossistema da aquacultura. O objetivo é aumentar a criação de precisão, impulsionar a competitividade dentro do sector e aumentar a segurança alimentar e nutricional. A inversão de género produz mais machos, que são peixes mais carnudos, maiores e consomem menos ração.
Melhoria dos sistemas de recirculação da aquacultura (RAS)Projetos para melhorar o desempenho RAS, que são um tipo de instalação de aquacultura que utiliza um sistema fechado ou circulação de água num circuito semifechado para reciclar e reutilizar água dentro do sistema. Num RAS, a água circula através de vários tanques e filtros para remover resíduos e manter a qualidadeOs sistemas RAS com melhor desempenho reduzem o desperdício de água e proporcionam maior eficiência energética, melhor adaptabilidade à utilização de água salgada, melhorada filtragem da água e melhor prestação de resultados. Também permite a digitalização da aquacultura, com a utilização de IoT e sensores, e pode ser emparelhado com energias renováveis para uma maior eficiência energética. Os RAS são escaláveis e podem ser instalados em quase todos os lugares, incluindo ambientes urbanos.
Digitalização da aquaculturaA instalação de sensores, câmaras, equipamento IoT, alimentadores automáticos, etc., dentro de tanques/lagos de modo a monitorizar a saúde e o bem-estar dos peixes, algas e bactérias na água, monitorização de inventários e calcular o montante de água necessária, o estado da água e a quantidade de ração, etc. As tecnologias IoT podem ser complementadas por cloud computing.Estes dispositivos medem e regulam condições ambientais como a temperatura da água, a quantidade de água necessária e a quantidade de ração necessária, aumentando assim a previsibilidade, eficiência de custos e velocidade de produção. Oferecem também um aviso prévio sistema para algas e crescimento de cianobactérias nocivas, tornando possível identificar peixes com doenças e controlar a produção à distância sem intervenção humana.
Monitorização por satéliteUtilização de satélites para monitorizar explorações agrícolas em locais remotos que não suportam ligações de fibras.A utilização de satélites permite o uso ininterrupto de controlo da produção nas explorações agrícolas que estão localizadas mais longe da costa e reduz o número de intervenções presenciais necessárias, aumentando a eficiência. Esta configuração também permite a produção de peixe em águas mais profundas.
Sistemas de manutenção de peixesSistemas de manuseamento, bombagem, processamento e arrefecimento das espécies produzidas, de forma a assegurar um melhor bem-estar dos peixesOs sistemas de manuseamento melhoram o bem-estar dos peixes ao reduzir o stress e a mortalidade, aumentam a qualidade redução do stress durante a colheita e o tempo pré-rigor mortis, e diminuem as emissões de carbono, custos e riscos de doença.
Veículos operados remotamente (ROVs) para aquaculturaRobots controlados a partir do exterior do ambiente marinho. Estão equipados com câmaras e conseguem executar tarefas subaquáticas que teriam de ser, normalmente, feitas pelos humanosOs ROVs podem realizar tarefas que exigem força de trabalho experiente e material de proteção subaquático dispendiosos. Com a ajuda dos ROVs, os Aquacultores podem inspecionar rapidamente as redes sem sair do barco.
Vacinas oraisNovas vacinas que podem ser dadas aos peixes em vez de serem injetadas individualmente.A administração oral de vacinas reduz o tempo e custos comparados com vacinação individual dos peixes. Também facilita a distribuição da vacinação, reduz o stress para os peixes e o risco de morte durante e após a vacinação. Reduz o risco de doença na produção dos peixes e assim o bem-estar dos peixes.
Fontes alternativas de alimentoCriação de rações de peixe a partir de fontes para além de peixes pequenos. Algumas opções promissoras incluem soluções â base de plantas (como a proteína de soja), algas e insetos. Embora as algas de alta qualidade melhorem a saúde e nutrição dos peixes e nutrição, ainda é cara.As alternativas à alimentação tradicional para peixe apresentam uma oportunidade de escalar de forma sustentável a produção de aquacultura, reduzindo a dependência da ração e óleo de peixe fabricados a partir de partes recicladas de peixe que, devido à pesca excessiva, são cada vez mais escassas.
Produção de molúsculos offshore Os molúsculos são cultivados/criados no interior e produzidos em offshore: cabos horizontais são colocados perto da superfície e fixados ao fundo do mar utilizando um sistema de ancoragem. Depois, são fixadas lanternas ao longo dos cabos horizontais e os molúsculos são colocados lá dentro para crescerem.A criação de molúsculos offshore reduz a dependência da água doce e da terra, aumenta a escalabilidade da produção e tem um impacto ambiental mínimo.
Cultivo de macroalgas offshoreO desenvolvimento de soluções inovadoras para produzir algas que são resistentes ao ambiente offshore extremo e maximizar a produção.A produção de macroalgas offshore reduz custos de infraestruturas e logística, não requerem água doce e fertilizantes, regenera a saúde dos oceanos, aumenta rendimentos da biomassa e melhora a rentabilidade. Uma modelação mais detalhada e precisa irá diminuir os riscos e melhorar a viabilidade dos projetos.
Produção de crustáceos em RASCrustáceos como o camarão são produzidos no interior utilizando o inovador sistema RAS.Os sistemas RAS facilitam a sustentabilidade da produção de crustáceos que emitem menos contaminação e poluição, apresentam uma melhor gestão do grande e constante fluxo de resíduos gerados pelos crustáceos durante o processo de criação e é capaz de se adaptar a condições da água específicas, tais como níveis de salinidade.
Aquacultura multi-trófica integrada (IMTA)Aquacultura de várias espécies com diferentes níveis tróficos num mesmo sistema de aquacultura, utilizando uma abordagem económica circular. Numa produção IMTA, a alimentação não consumida e os desperdícios de uma espécie são recapturados e convertidos em alimento, fertilizantes e energia para outra espécie. Um exemplo poderia ser a produção de peixes, ouriços-do-mar e algas marinhas juntos num único sistemaA IMTA permite uma abordagem de economia circular adequada à aquacultura, diminui o impacto ambiental da produção, otimiza a utilização do espaço e reduz resíduos. Também pode ter um impacto positivo nas taxas de crescimento de certas espécies, tais como ouriços-do-mar.
Background Associates Image

Associados Fórum Oceano - Fileira Aquacultura

Associate Logo 14

Dados de Mercado da Aquacultura

Blue Economy Barometer

Plataforma digital que consolida dados de diferentes subsectores da indústria da Economia Azul e compara vários indicadores de diferentes países.

Hub Azul Dealroom

A plataforma digital para a internacionalização global da Economia Azul em Portugal, dinamizada pelo Fórum Oceano, para um ecossistema global que liga inovadores azuis a investidores.

Euronext Lisbon

A Euronext Lisbon é uma bolsa de valores situada em Lisboa. Faz parte da bolsa pan-europeia Euronext. O índice mais famoso é o PSI-20.

Blue Invest

Iniciativa da Comissão Europeia com o objetivo de acelerar novas tecnologias e soluções baseadas nos oceanos para desbloquear a inovação e as oportunidades de investimento na Economia Azul sustentável.

Footer Background Image

O Fórum Oceano é a entidade gestora do Cluster do Mar Português, certificada e reconhecida pelo Ministério da Economia e do Mar, Ministério da Defesa Nacional e pelo Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.


Sede
UPTEC Mar, sala C2, Av. da Liberdade S/N 4450-718 Leça da Palmeira – Portugal
+351 220 120 764
Delegação
Rua das Trinas, nº. 49 – Sala 206
1249-093 Lisboa – Portugal


© 2024 Fórum Oceano. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Yacooba Labs